Ter, 31 de dezembro de 2013
A esperança renovada no remate de um ínfimo 2013
Escrito por: Rodrigo Martins
   

O atabalhoado momento dos figurantes deste famigerado grupo e seus corriqueiros compromissos - aliado a uma grudadora preguiça, acabou momentaneamente rebaixando nossas divertidas pedaladas a uma monta irrisória, resultando numa freqüência deveras constrangedora de passeios sobre duas rodas no corrido ano. Na ida até Angelina rolou uma DR interessante e várias resoluções de ano novo foram encaminhadas para serem prometidas no momento derradeiro do foguetório aos respingos de uma onda qualquer. Os consecutivos hiatos entre uma pedalada e outra aconteceram de uma forma indesejada, embora muitas vezes necessária. Ao que tudo indica, o ano de 2014 será diferente e voltaremos aos poucos com as nossas rotineiras pedaladas dominicais. Para meados de janeiro fica a promessa de uma bela repaginada no nosso site, juntamente com as postagens da nossa última e exageradamente inusitada viagem que foi rodada em 7 dias (ou alguma coisa parecida com isso...) pelo planalto serrano catarinense. Uma viagem estranhamente diferente em todos os aspectos. Sendo assim e dito isso, daremos uma breve pausa no relapso momento do grupo para a postagem saideira de 2013. Nada de diferente, apenas cumprindo uma promessa brindada em alguma festa por aí, mas que fazemos questão de honrar sempre. Uma vez por ano, de alguma forma, indo ou vindo, ou apenas de passagem... temos que fazer girar nossas estimadas bicicletas por terras angelinenses. Para não forçar muito os nossos corpinhos em moldes de festa, seguimos até a capital do Pedaladas de carro com o nosso motorista amigo de plantão. O Sr. Mazolla é uma pessoa única, de boa vontade sem igual, pois não é qualquer ser humano que se dispõe a nos catar, cada qual em seu casulo, por volta das cinco e tanto da manhã e ainda nos levar para onde for. Pela 282 é até rapidinho e sempre rola umas conversas engraçadas nesse estranho horário. O pedal iniciou um pouco antes de o sino tocar oito vezes, nos deixando impressionados – já que adquirimos uma desagradável tendência de atrasar todas as nossas pedaladas. Na saída, o tempo não sorria como deveria, mas mesmo assim lascamos o protetor solar fator bastante.

Uma tradicional voltinha básica nos arredores da igreja e seguimos nossa sina morro acima já logo de início. Antes, um animado café da manhã na padaria local: Nescau com pão de trigo e queijo derretido na chapa. Todos de início muito quietos, ainda em processo de acordar, só escutando a carcaça rangendo, numa reclamação coletiva do longo período sem pedalar.

O clima estava estranho, pois num intervalo de apenas quarenta quilômetros - fez calor, depois fez frio, pegamos um trecho com neblina e aí choveu. Mais para frente um forte e desgastante sol e por fim, chegamos com um tempo bastante nublado em Antônio Carlos, porém com uma temperatura consideravelmente agradável. Pedalamos devagar e conversamos bastante a respeito de se comprometer mais com essas nossas pedaladas, pois de fato relaxamos um bocado no segundo semestre e a última viagem foi feita a duras penas.

Esse derradeiro passeio serviu até como uma forma de voltar as nossas origens e resgatar um pouco da motivação um tanto perdida. Roberto não conseguiu o alvará de soltura e teve que ficar em casa cumprindo penalidades domésticas, mas o atualizamos via telefone (ao brinde de uma Pureza em garrafa de vidro no Bar do Zezo) e mesmo de longe, fechou um empenho maior com os outros três comparsas do grupelho no vindouro ano.

Gostaria de dizer que estamos oficialmente de férias do pedal, mas esse período de folga tem sido quase uma constante, então nesse exato momento – estamos no nosso normal. Tão logo passe esse período festivo, voltaremos aos velhos dramas de muito sol e longas subidas, sempre com o vento contra. Basta curar a homérica ressaca que está por vir e aos poucos as coisas se ajeitarão novamente. E, caso encontrem o Rodak numa pedalada dessas por aí afora, não esqueçam: três sopros no apito foguete para chamar Goldar!

Um ótimo início de ano para todos nós, que apesar da momentânea preguiça, gostamos tanto de pedalar...

« Pedalada Anterior
Lido 1225 vezes
Comentários
Qui, 02 de janeiro de 2014
escrito por: João Doggett
Ahuahuahuahuahua... PQP! Vingadores do Espaço? De onde desenterraram isso, seus dementes?... Até que enfim notícias. No aguardo dessa viagem de vocês.
Um abraço do amigo João!
Qui, 02 de janeiro de 2014
escrito por: Éder Strutz
Muito legal as fotos.... Parabéns pessoal e que 2014 vocês venham com novas histórias e fotos para gente!!!
Qui, 02 de janeiro de 2014
escrito por: Eleonesio Diomar Leitzke
Para variar um divertido e bem escrito relato e como disse o amigo acima, de onde diabos desenterraram a referência a Rodak e Goldar???? Precisamos tomar umas cervas, para aprender por osmose essas referências bibliográficas. Abraços e feliz e pedalado 2014.
Sex, 03 de janeiro de 2014
escrito por: Dorgivan Santos
como sempre um otimo relato e fotos de tirar o folego.Bons pedais meu camarada.
Sex, 03 de janeiro de 2014
escrito por: Waldson - Antigão cicloturista.
Ora, ora! Meus amigos apareceram!!! E sempre encontrando os melhores e mais bonitos lugares de SC para pedalar, hein!?
Só de ler este relato e ver essas fotos já fiquei 50% melhor das minhas dores "cacundais". Isso se chama "inspiração". Obrigado, amigos!
Creio em Deus que 2014 nos trará a força, a saúde, a garra, necessárias para que possamos cruzar esses lindos lugares com as nossas bikes.
Um Feliz 2014 a todos e um fraternal abraço!
Ter, 07 de janeiro de 2014
escrito por: Elton Xamã
hola,
A preguiça nós a afastamos pedalando de leve...é assim mesmo em todo início de ano...a minha deve ser maior que a de vcskkkk
Abraços e muita saúde em2014
Elton Xamã
Pantanal Sulmatogrossense
» Postar um comentário
Patrocínio
Pizza Bis
Apoio
LaiLai EntregaBeleza BikFURBO ConfecçõesOndePedalar.com.br
Sigam-nos
Strava
© 2017 - pedaladas.com.br
Desocupado N°: 371406