Sex, 03 de dezembro de 2010
A trilha da Olaria Jedi
Escrito por: Rodrigo Martins
   

Pedalada pós Oktoberfest é sempre complicada. Mesmo uma semana após, ainda sentíamos o efeito da noite exageradamente desregrada. Fernando, sequer teve coragem de se arriscar e os que foram e encararam o pedal regenerativo... sofreram! Dia inspirador, para pessoas que saíram para pedalar... pouco inspiradas.

Num ritmo adequado ao nosso inadequado estado físico, pedalamos vagarosamente rumo a mais uma jornada made in TrilhasBR. O roteiro da vez: Trilha da Olaria.

Já pedalamos algumas vezes por Sambaqui e já fizemos algo muito parecido. Uma vaga lembrança - forçando um pouco nossa mente ainda com sintomas de ressaca (das brabas...) e ainda por cima maltratada pelo sol forte -, nos indicava isso através de longínquos e opacos pensamentos...

Constantemente um olhava para o outro, - já passamos por aqui, né? "Imagino que sim", era a resposta freqüente, mas sem muita convicção.

O local é muito bacana. Fica na metade do caminho entre o centro de Florianópolis e as praias mais movimentadas do norte da ilha, que tão logo chegue o verão - estarão repletas de turistas pouco educados. Muito triste isso, eu sei.

Finalmente chegamos a um consenso. Já fizemos tudo isso em pedaladas anteriores, mas com o sentido inverso. Por isso a dificuldade de se situar. Bela desculpa, sem dúvida.

Aqui sim! Trecho inédito... Deve ser a tal Trilha da Olaria. Cenário bem parecido com a lua de Endor... Só faltaram os afeminados Ewoks.

       

Trecho bem divertido, porém curto. Mas como as duas bem-apessoadas criaturas já estavam lastimando a canseira – achamos de tamanho ideal, e ficamos plenamente satisfeitos. No final da trilha, há um teste de virtude. Se você bebe refri igual água, toma cerveja igual refri, come Mc Donald’s igual um boi e devora churrasco tal qual um javali... Então você não é digno de tal travessia e terá que voltar e achar outra saída.

É sério. Se você é adepto a moda pança de mamute e possui forma oblonga, vai passar por dificuldades... Encolha bem a saliência que você chama de barriga, se quiser obter êxito na austera passagem. Apreciado o pedal e lamentado o pianço justificado. Blumenau em outubro é sem igual. Fica o registro de mais uma inesquecível noite, na melhor festa do mundo! Mais uma vez, fomos agraciados com o melhor camarote da festança. Chope e salgadinhos para você consumir a seu bel-prazer. Resultado: devemos ter sido o primeiro caso adulto de overdose de Elma Chips da história médica catarinense. Uma semana depois, nossa urina ainda tinha cheiro de pingo d’ouro... E quanto ao excesso de chope? Alguém pode ter se perguntado... Tranquilo, pois nosso organismo já possui anticorpos contra o álcool...

“Zigge-zagge, zigge-zagge hoi, hoi, hoi…
Wir geh'n noch nicht nach haus…” 

« Pedalada Anterior
Lido 1863 vezes
Comentários
Qua, 08 de dezembro de 2010
escrito por: João Doggett
Muito bacana essa pedalada aí. Santa Catarina é baita! Mas legal mesmo é a Oktoberfesta. Muito massa, já fui várias vezes e sinto saudade de lá!! Parabéns pelo site. Vocês são meus ídolos. Gurizada sangue-bom!
João.
Sex, 10 de dezembro de 2010
escrito por: Marco Nunes
Éssa daí é realmente pedalável? Posso levar a Sra. Nunes sem medo de ser espancado?
Sáb, 11 de dezembro de 2010
escrito por: Waldson (Antigão)
Nossa que trilha bonita! Muito verde, muita sombra, própria para um cérebro recém castigado pelo álcool, hehehe!

As fotos estão lindas, o relato perfeito, mas passar por aquela garganta... comeu demais entala!

Parabéns pelo passeio!

Grande abraço!
Sex, 17 de dezembro de 2010
escrito por: Alexandre Ferreira(Anaconda)
Trilha maravilhosa e fotos muito bonitas!!
» Postar um comentário
Patrocínio
Pizza Bis
Apoio
LaiLai EntregaBeleza BikFURBO ConfecçõesOndePedalar.com.br
Sigam-nos
Strava
© 2017 - pedaladas.com.br
Desocupado N°: 371406